ROG Phone 3 pode ter Snapdragon 865 com overclock | Pocket News #46

Asus pode lançar ROG Phone 3 com Snapdragon 865 com overclock e 6000 mAh

O Asus ROG Phone 3 acabou recebendo a homologação da TENAA, agência reguladora da China que é equivalente à Anatel. Assim, o aparelho estará disponível ao mercado antes da data esperada.

Ele virá com uma tela AMOLED de 6,59 polegadas, Full HD+, sem notch e com leitor de digitais embutido. De processador ele irá contar com um Qualcomm Snapdragon 865 e chip gráfico Adreno 650.

Para memória RAM, estarão disponíveis as opções de 8 GB, 12 GB e 16 GB. Já para armazenamento, haverá as opções de 128 GB, 256 GB ou 512 GB, sem a possibilidade de expansão por microSD.

No quesito câmera, o dispositivo terá sensor principal de 64 MP, um de ultrawide de 13 MP e telefoto para zoom. O smartphone terá câmera frontal, mas até o momento informações sobre elas não foram divulgadas.

O aparelho ainda conta com conectividade de 4G, 5G, USB-C e possui sistema operacional Android 10 por baixo da interface ROG UI.

E um dos detalhes que mais impressiona sobre o aparelho, além do seu processador, será a sua bateria de 6.000 mAh com compatibilidade de carregamento rápido de 30 W.

Além disso, para cativar ainda mais o público gamer, o ROG Phone 3 já terá o Google Stadia pré-instalado para fazer streaming de jogos na nuvem. Ele também será compatível a acessórios como um dock e um gamepad.

No entanto, como o aparelho foi homologado recentemente, ainda há algum trabalho a ser feito antes do aparelho chegar ao mercado os detalhes oficiais devem ser anunciados pela Asus nos próximos meses. Ainda vale lembrar que o POG Phone 2, seu antecessor, foi lançado no Brasil por até R$ 7.299.

 

O clone do TikTok, Zynn agora foi removido da App Store

 Zynn, um aplicativo chinês de compartilhamento de vídeos, que é nitidamente um clone de Tik Tok, foi removido da App Store da Apple. A medida foi tomada com base a diversas denúncias de plágio feitas pelos usuários da plataforma.

A situação levantou ainda mais polêmica, quando a empresa ainda descobriu que havia um esquema de recompensa que pagava os usuários para assistir os vídeos e convidar amigos para a plataforma.

Um pouco antes da ação da App Store, um porta-voz da Zynn havia afirmado que não estavam preocupados com as denúncias de plágio e que firmavam acordos com a Google e a Apple para garantir a conformidade com as diretrizes e regulamentos dessas plataformas.

O problema que levantou mais discórdia para o caso do Zynn, é que diversos produtores de conteúdo do Tik Tok comprovaram que o sistema de recompensas que a plataforma Zynn oferecia aos seus usuários estava fazendo com que diversos vídeos do Tik Tok estivessem sendo roubados por contas falsas no Zynn.

Além disso, o sistema de recompensa também garantiu que o aplicativo acabasse atraindo uma quantidade absurda de novos usuários em um curto período de tempo, fazendo com que ele acabasse se tornando um dos aplicativos mais populares da App Store.

Em defesa a Zynn alegou que estava simplesmente dando dinheiro que teria gastado em propaganda diretamente aos usuários, mas as conclusões do sistema de moderação da App Store, o aplicativo nada mais era do que um “esquema de pirâmide”.

Porém ainda há informações mais profundas nessa história. Isso porque, a ascensão e queda desse aplicativo faz parte de uma batalha de longa data entre duas gigantes da tecnologia chinesa: a empresa criadora do Zynn, Kuaishou, e empresa criadora do Tik Tok, ByteDance.

As duas empresas disputam pela supremacia no mercado de compartilhamento de vídeos da China e com o sucesso do Tik Tok no Ocidente, a batalha se espalhou pelos Estados Unidos.

 Por mais que a jogada da Kuaishou com o Zynn tenha sido um sucesso imediato, eles muito provavelmente não serão capazes de sustentar essa posição por muito tempo. Além disso, podemos esperar que muito em breve a Google também se pronuncie sobre o caso.

Related Posts